A importância dos museus para comunidades do século XXI

A equipe do PRONEC em visita a um museu de arte contemporânea teve a oportunidade de estar presente ao mesmo tempo em que um grupo considerável de adolescentes de um colégio particular visitava o mesmo museu. Coletivamente, eles decidiram que todas as obras de arte do museu eram um lixo completo e, portanto, não haviam conseguido compreender o valor da visita no local. 

Talvez eles simplesmente não gostassem das peças expostas, ou talvez tivessem decidido muito antes de chegar ao museu que simplesmente não se importavam com a arte contemporânea, por considerarem um estigma cultural desagradável, talvez sem originalidade ou geralmente inútil para alguns públicos. 

Depois de segui-los um pouco, tivemos dificuldade em formar nossas próprias opiniões sobre a arte sendo apresentada, cedendo a uma reação reflexa de que tudo era terrível, talvez tenha sido a característica de alguns jovens lideres do grupo, para tentar impressionar os demais ridicularizando tudo a sua frente na tentativa de se posicionem melhores diante de seu público, ou que o verdadeiro destaque fossem eles. 

Horas depois, nos deparamos com uma grande pergunta: o público moderno está respondendo mais ao que encontra em um museu ou a toda a ideia que envolve um museu. 

De alguma forma, crescemos além dos museus, como comunidade? Será que, as gerações futuras irão achar conveniente doar milhões de reais para mantê-los em funcionamento? 

A questão rapidamente se tornou ainda maior, na seguinte pergunta: por que os museus são importantes para a comunidade na era digital? Eles são importantes? 

Em vez de apresentarmos um argumento definitivo de uma maneira ou de outra, neste artigo analisaremos diferentes aspectos de museus de todos os tipos e como interagimos com eles aqui no século XXI.  

O Papel da Arte e da História

Sim, os próprios museus no que se refere apenas aos edifícios, podem ter significado histórico e artístico, mas, ao discutirmos a importância dos museus hoje, estamos realmente falando sobre o que é encontrado dentro deles. Na maioria das vezes, os museus indiferente do tipo, são cheios de objetos de valor artístico e histórico. 

Então, precisamos mesmo desses objetos? Eles nos ensinam algo valioso sobre a raça humana e como ela se desenvolveu ao longo do tempo? 

A breve resposta aqui seria sim. É claro que objetos de arte e históricos podem comunicar e transmitir informações valiosas sobre a experiência humana, mas essas lições nem sempre são evidentes. 

A maioria das pessoas precisará de ajuda para entender o significado de certas peças. O contexto histórico pode ajudar bastante a explicar por que uma exibição de museu é importante e por que foi feita em primeiro lugar. 

Se a maioria dos museus comunica com êxito essas informações é um assunto totalmente diferente, e veremos mais adiante.  

Digital ou Tangível

Muito bem, então vamos supor que os objetos em exibição em qualquer museu tenham valor cultural. Se for esse o caso, por que alguém não pode simplesmente olhar para os mesmos objetos on-line, sem custo adicional? 

De certa forma, a internet não é o museu mais abrangente e acessível que existe? 

É aqui que as coisas ficam complicadas. Sim, você pode encontrar fotos de praticamente qualquer coisa online, desde esculturas egípcias antigas até pinturas dos grandes mestres. 

Mas com base na experiência, podemos dizer com confiança que ver esses mesmos objetos pessoalmente é uma experiência bem diferente, nem sempre melhor, nem sempre pior, apenas diferente. 

Por um lado, é certamente mais pessoal. Ver de perto uma pintura de Van Gogh é muito diferente de ver um JPEG da mesma pintura. 

Não apenas isso, mas os curadores do museu sabem o que estão fazendo. Eles não apenas encontram tudo o que podem e colocam na mesma sala. Como as obras de arte e os objetos históricos são devidamente organizados e sua simples presença em exposições pode criar valor e ajudar a criar uma experiência consistente para os visitantes, gerando maiores ofertas para as obras expostas. 

Quando as peças fluem bem, é porque o curador as queria assim. E quando elas se chocam, é porque o curador também queria surtir este efeito.

Há uma certa quantidade de confiança que entra em uma visita cuidadosa ao museu. Levar algum tempo para pensar sobre o que o curador queria que você experimentasse pode tornar a viagem mais gratificante.   

Museus e a Acessibilidade

A questão da acessibilidade se aplica mais aos museus de arte do que aos museus de história, então, tenha isso em mente durante esta seção. 

A arte moderna e contemporânea, tem uma reputação de ser deliberadamente obscura e difícil de entender. Nem sempre é verdade, mas quando se trata de certos artistas, essa reação é completamente justa. 

Se você não é formado em história da arte e não tem um vasto conhecimento no assunto, pode ser difícil se engajar com o “Laranja e Amarelo” de Mark Rothko. 

Os museus fazem um bom trabalho ajudando os visitantes a apreciar a arte? 

Bem, às vezes eles fazem. 

Os guias turísticos podem definitivamente ser um grande trunfo, literalmente guiando os visitantes através de obras específicas e também do próprio museu, em uma ordem específica. 

Qualquer pessoa que não queira fazer parte de um grupo de turismo normalmente pode ter acesso às informações e contexto histórico para as peças, caso o museu tenha as suas obras certificadas pelo PRONEC, você encontrará o cartão de conectividade juntamente com a obra, onde terá acesso a todas informações sobre a arte e sobre a sua autoria, assim como o acesso ao contexto de todo museu em um formato online e autêntico para estudo posteriores. 

Pense em suas próprias visitas anteriores ao museu. Você sentiu alguma coisa? Até a raiva pode ser um sinal de que a obra de arte está fazendo seu trabalho. Não há reação certa ou errada. Ter qualquer tipo de resposta emocional é um sinal de que você está envolvido com o trabalho. 

Mesmo os jovens mencionados na história de abertura estavam tendo uma experiência válida no museu, elas simplesmente não estavam cientes disso.  

A linha inferior

Para resumir, sempre haverá espaço para melhorias na maneira como os museus se apresentam e suas coleções ao público visitante. Felizmente, essas instituições culturais continuarão a encontrar novas maneiras de permitir que os visitantes se envolvam com exibições em seu próprio nível. 

Para responder à pergunta que abriu o artigo, sim, os museus podem realmente ter um grande valor para as comunidades às quais servem, mas estamos em um estágio em que você, como patrocinador do museu, ainda pode ter que fazer um pouco mais para valer a pena, algo a mais para atrair a atenção deste novo público e caso as obras de arte, antiguidades e demais itens de seu museu não estejam devidamente certificadas com o PRONEC, solicitamos que, nos consulte-nos o quanto antes, para avaliarmos as suas necessidades e aliarmos segurança, autenticidade, conectividade digital e marketing para o museu e seus patrocinadores.

No futuro, tente entrar em um museu, de qualquer tipo, com a mente aberta, pronto para experimentar algo único, principalmente se este for um museu homologado pelo PRONEC.

Museu Municipal de Uberlândia

A imagem de chamada desta matéria é do prédio centenário chamado Palácio dos Leões, localizado na praça Clarimundo Carneiro, região central da cidade da cidade de Uberlândia estado de Minas Gerais no Brasil. 

Fundado em 11 de novembro de 1917 teve a comemoração em 2017 dos 100 anos do conjunto arquitetônico tombado pela Lei Municipal número 4.209, de 25 de setembro de 1985 e que abrigou o Paço Municipal, sede dos Poderes Executivo e Legislativo até 1993, onde atualmente reformado abriga o Museu Municipal de Uberlândia, sendo hoje um palco de importantes trabalhos, tendo um projeto permanente – Nossas Raízes – que retrata sobre uma exposição da história de Uberlândia.

O Museu Municipal de Uberlândia após comemorar o seu centenário, realiza exposições cenográficas e de seu acervo com contextos de época, onde cada peça devidamente exposta conta a sua própria história em sua representatividade, sugerindo ações, funções e modos de vida.

A forma de trabalho da curadoria do museu proporciona ao visitante idoso, recordações de épocas passadas, enquanto que ao jovem, concede o reconhecimento de como foi a vida e o cotidiano das pessoas no passado, além de favorecer aos professores do ensino fundamental, uma viagem com seus alunos ao tempo da história da cidade e do país em um contexto geral.

O Museu Municipal de Uberlândia se localiza na praça Clarimundo Carneiro (entre as avenidas Afonso Pena e João Pinheiro e ruas XV de Novembro e Bernardo Guimarães), setor central.

ADMPRONEC

Educação e cultura com segurança e tecnologia

Artigos Relacionados

thumbnail
hover

Nike Inc.

Quem conhece a Nike deseja seus produtos e, dificilmente alguém que não a conheça, pois é a maior empresa em venda de material desportiv...

thumbnail
hover

Clara Alice Pantaleão Ribeiro

Clara Alice Pantaleão Ribeiro ama a arte e o design e tem andamento na graduação em Artes Visuais - Design Gráfico na Universidade Feder...

thumbnail
hover

Daniel Marx

Daniel Marques da Costa ou como conhecido Daniel Marx é pós graduado em criação publicitária e planejamento de propaganda, com formaç...